Seguidores

QUEM SOU

Professor de Filosofia, gosto da palavra, que vem em forma de vivência, depois reflexão e, por fim, escrita (ou seria tudo junto, ao mesmo tempo?). Escrevo artigos, ensaios, livros e poemas. Abasteço meu pensamento em autores como Nietzsche, Schopenhauer e Hans Jonas e tento pensar sobre problemas que nos afetam sob esses espaços infinitos que nos ignoram.

Entre meus livros, estão os 3 volumes da Coleção Sabedoria Prática ("Sabedoria Prática", "Filosofia da Viagem" e "Elogio à Simplicidade", que já estão na terceira edição). Ano passado lançamos, Marcella Lopes Guimarães e eu, a Coleção Café com Ideias, cujo primeiro volume é "Diálogo sobre o Tempo: entre a filosofia e a história". Você pode encontrar no site: www.livraria.pucpr.br

Além disso escrevi "A solidão como virtude moral em Nietzsche"; "Para uma ética da amizade em Friedrich Nietzsche" e "Compreender Hans Jonas". Sou co-autor de: "Ética, técnica e responsabilidade"; "Vida, técnica e responsabilidade"; "Ética de Gaia"; entre outros.


Marcadores

Tecnologia do Blogger.

Pesquisar neste blog

sábado, 20 de agosto de 2016









Rente ao novembro do lírio
Se enterra, sangrada, a perícia da gota
Em miúdas fragilidades
Como quem conserta
O defeito dos meses.

Na curva do arame escoam olhares
Perseguindo a chuva.
Longe a rês se espanta.
Pássaro sem pouso circula
Como de susto.

Das vitrines do céu
Um diadema vermelho despenca
Em clarão desconhecido.
A chuva atira migalhas no açude,
Onde antigas fontes amputadas
Se debruçam lentas de carinho.

No longe, a vida se lava no mel.
O inseto apalpa nomenclaturas de flor
Fuçando tudo o que à terra desce:
O nervo, a cisma e a dor.

O corpo no espelho
Recolhe o feitiço.

No outro lado da gleba,
À espera, comovemos espigas.